Para os amantes de esportes olímpicos
Início » Ooin » Prestes a completar um ano, filha de Fabiana Murer ‘se arrisca’ no salto com vara

Prestes a completar um ano, filha de Fabiana Murer ‘se arrisca’ no salto com vara

Manuela ainda não assoprou nem as velinhas do seu primeiro aniversário, o que acontecerá no próximo dia 16 de dezembro, mas já conheceu o salto com vara, esporte que a mamãe Fabiana Murer brilhou (e muito).

A campeã mundial e pan-americana encantou os seus seguidores ao divulgar um vídeo da pequena, que é fruto do seu casamento com o técnico Elson Miranda, tentando andar rápido e pular no colchão.

“Iniciando os treinos”, brincou Murer na legenda.

Em outro vídeo, os papais ajudam Manuela em mais uma modalidade. “A mais nova ginasta. Geração 2036”, escreveu a ex-saltando enquanto ela e o marido tentam ajudar a herdeira dar uma cambalhota em um trapézio de circo.

Veja os vídeos e morra com toda essa fofura:

Visualizar esta foto no Instagram.

Iniciando os treinos. Beginning the training. #saltocomvara #polevault #bebeatleta #babyathlete

Uma publicação compartilhada por Fabiana Murer (@fabianamurer) em

Visualizar esta foto no Instagram.

A mais nova ginasta. Geração 2036. #ginastica #ginasticaartistica #geracao2036🇧🇷 #gimnastic #artisticgimnastic

Uma publicação compartilhada por Fabiana Murer (@fabianamurer) em

Gisèle de Oliveira

Gisèle de Oliveira

Jornalista apaixonada por esportes desde sempre, foi correspondente internacional do “Diário Lance!” na Austrália, quando cobriu os preparativos para os Jogos Olímpicos de Sydney-2000, e editora do jornal no Rio de Janeiro, trabalhou na “Gazeta Esportiva” e foi colaboradora de especiais da revista “Placar”, entre outras experiências fora do universo esportivo. Mineira de nascimento, paulistana de coração, é torcedora inabalável de Rafael Nadal, Michael Phelps, Messi e Rafaela Silva. Adora tênis, natação, judô, vôlei, hipismo e curling (sim, é verdade). Sagitariana e são-paulina teimosa, agradece por ter visto a Seleção de futebol de 82 de Telê, o São Paulo também do mestre Telê, o Barcelona de Guardiola e a Seleção de vôlei de Bernardinho em seu auge. Ah, chora em conquistas esportivas, e não apenas de brasileiros.

Adicionar comentário