Para os amantes de esportes olímpicos
Início » Fashionices » Fashion Federer

Fashion Federer

Elegante. Esse é um dos muitos adjetivos que podem ser usados ao se falar de Roger Federer. Não à toa, fãs, especialistas e mesmo rivais não se cansam de destacar a elegância do suíço dentro de quadra, seja na maneira de jogar ou tratar seus adversários. Fora dela, ele também não deixa por menos.

Amigo de Anna Wintour, a poderosa editora da Vogue América (que é basicamente a Bíblia da moda), Federer transita com desenvoltura pelo universo fashion da mesma maneira que desfila seu talento pelos torneios ao redor do mundo. E estilo não falta ao tenista. Seus looks são precisos como suas deixadinhas e matadores como seus golpes de backhand na paralela. Não importa se o visual é mais casual, com uma calça jeans e camisa xadrez, ou chique, de smoking, Federer sempre esbanja classe.

Federer esbanja classe nos mais variados estilos

E se ele, aos 35 anos, ainda é capaz de surpreender seus oponentes e parece estar se divertindo mais a cada vez que entra em quadra, sem falar os resultados – esse ano já faturou três títulos, Aberto da Austrália e os Masters 1000 de Indian Wells e Miami -, no Met Gala dessa semana (famoso e disputado baile do Metropolitan Museum de Nova York) Federer provou que ousadia também não lhe falta na hora de pisar no tapete vermelho. A bordo de um smoking Gucci, o campeão arrasou ao lado da mulher, Mirka.

Ok, agora você para e me pergunta: qual a novidade? Já vimos Federer de smoking inúmeras vezes. Tem razão, mas atente-se para o detalhe das costas. Sim, você viu direito, é uma cobra brilhante bordada. Questionável? Gosto duvidoso? Talvez. Alguns fashionistas podem achar ousado, outros, cafona. Mas o que ninguém pode duvidar é que o rapaz esteja se divertindo.

Ao lado de Mirka, Federer exibe orgulhoso seu look Gucci

E você, aprovou o look do Federer?

Gisèle de Oliveira

Gisèle de Oliveira

Jornalista apaixonada por esportes desde sempre, foi correspondente internacional do “Diário Lance!” na Austrália, quando cobriu os preparativos para os Jogos Olímpicos de Sydney-2000, e editora do jornal no Rio de Janeiro, trabalhou na “Gazeta Esportiva” e foi colaboradora de especiais da revista “Placar”, entre outras experiências fora do universo esportivo. Mineira de nascimento, paulistana de coração, é torcedora inabalável de Rafael Nadal, Michael Phelps, Messi e Rafaela Silva. Adora tênis, natação, judô, vôlei, hipismo e curling (sim, é verdade). Sagitariana e são-paulina teimosa, agradece por ter visto a Seleção de futebol de 82 de Telê, o São Paulo também do mestre Telê, o Barcelona de Guardiola e a Seleção de vôlei de Bernardinho em seu auge. Ah, chora em conquistas esportivas, e não apenas de brasileiros.

Adicionar comentário