Para os amantes de esportes olímpicos
Início » Bola » Jaqueline estreia canal no Youtube e revela que era a manicure da seleção

Jaqueline estreia canal no Youtube e revela que era a manicure da seleção

Após fazer muito sucesso nas quadras, Jaqueline é a mais nova youtuber da praça. O “Na Rede com a Jaque” estreou nesta quinta-feira, 29, com a bicampeã olímpica revelando 30 curiosidades sobre a sua vida.

A ex-ponteira sempre foi uma das principais jogadores da seleção brasileira. No entanto, ela fazia sucesso com as companheiras por uma qualidade fora da rede: habilidade em fazer suas unhas. “Era impressionante como as meninas da equipe me viam como manicure. E eu adorava”, contou.

O relacionamento como Murilo Endres também entrou na pauta do bate-papo. “Quando eu era mais nova, na minha época de Recife, era estranha e desengonçada, então, não fazia muito sucesso com os boys. Cheguei em São Paulo e continuei a mesma coisa. Conheci o Murilo e seis meses depois, dei aquele charminho nele, fiz aquele caô, ele me pediu em namoro e eu aceitei na hora. Por quê? Pra não perder, né? Tava tão difícil para mim antes”, afirmou aos risos.

Os dois estão casados há nove anos e são pais de Arthur, que completa cinco anos no final de dezembro.

Veja o vídeo de Jaque:

Gisèle de Oliveira

Gisèle de Oliveira

Jornalista apaixonada por esportes desde sempre, foi correspondente internacional do “Diário Lance!” na Austrália, quando cobriu os preparativos para os Jogos Olímpicos de Sydney-2000, e editora do jornal no Rio de Janeiro, trabalhou na “Gazeta Esportiva” e foi colaboradora de especiais da revista “Placar”, entre outras experiências fora do universo esportivo. Mineira de nascimento, paulistana de coração, é torcedora inabalável de Rafael Nadal, Michael Phelps, Messi e Rafaela Silva. Adora tênis, natação, judô, vôlei, hipismo e curling (sim, é verdade). Sagitariana e são-paulina teimosa, agradece por ter visto a Seleção de futebol de 82 de Telê, o São Paulo também do mestre Telê, o Barcelona de Guardiola e a Seleção de vôlei de Bernardinho em seu auge. Ah, chora em conquistas esportivas, e não apenas de brasileiros.

Adicionar comentário