Para os amantes de esportes olímpicos
Início » Bola » Federer coloca Tóquio-2020 no calendário: “Meu coração disse para disputar os Jogos Olímpicos novamente”

Federer coloca Tóquio-2020 no calendário: “Meu coração disse para disputar os Jogos Olímpicos novamente”

Aposentadoria? Esqueça! Os planos de Roger Federer são para torneios e mais torneios. Durante um evento de um patrocinador no Japão nesta segunda-feira, 14, o suíço revelou que deseja disputar os Jogos Olímpicos de Tóquio no próximo ano. A competição acontece na véspera dele completar 39 anos.

“Eu conversei com minha equipe durante várias semanas, vários meses, em relação ao que eu deveria fazer no verão de 2020, após Wimbledon e antes do US Open. No fim, meu coração me disse para disputar os Jogos Olímpicos novamente”, declarou.

Siga o Olimpitacos no Instagram

No entanto, para disputar a sua quinta Olímpiada, Federer vai precisar receber um convite da Federação Internacional de Tênis (ITF, na sigla em inglês). Para se classificar diretamente para os Jogos, o tenista precisa estar entre os 56 primeiros colocados do ranking da ATP e defendendo o seu país na Davis. O suíço, atual número 3 do mundo, atende o primeiro requisito, mas não disputa a competição por países desde 2015.

Após confirmar o interesse de ir ao Japão em 2020, Federer se torna um dos favoritos a receber o convite especial da ITF reservado para campeões olímpicos ou de Grand Slams. O suíço foi campeão de duplas em Pequim-2008, ao lado do compatriota Stan Wawrinka, e foi prata em Londres-2012 na chave de simples ao perder a final na grama sagrada de Wimbledon para Andy Murray. Ele não esteve no Rio-2016 por causa de uma lesão.

Federer já declarou diversas vezes que tem um carinho especial pelo Jogos Olímpicos apesar da competição não contabilizar pontos para o ranking. Foi na vila olímpica de Sydney em 2000 que ele conheceu Mirka. Ele contou que o primeiro beijo do casal aconteceu na Austrália durante a competição. Eles estão juntos até hoje e são pais de quatro crianças.

Opinião pessoal

Durante uma entrevista com Fernando Meligeni, perguntei quando ele acreditava que Federer iria se aposentar. Fininho me alertou para o acordo de patrocínio do suíço com a Uniqlo. Para Meligeni, esse contrato era um indício claro que a intenção de Federer era disputar os Jogos de Tóquio, afinal a nova patrocinadora é uma empresa japonesa. Era interessante para ambas as partes o negócio.

Com Federer fazendo o anúncio que a Olímpiada entrou em seu calendário para a próxima temporada justamente em um evento do patrocinador no Japão, me fez lembrar desse papo com Fininho e ter a certeza que as suspeitas dele estavam corretas.

Além de negócios, Meligeni lembrou que Federer não tem a medalha de ouro, o que seria outro motivador.

Gisèle de Oliveira

Gisèle de Oliveira

Jornalista apaixonada por esportes desde sempre, foi correspondente internacional do “Diário Lance!” na Austrália, quando cobriu os preparativos para os Jogos Olímpicos de Sydney-2000, e editora do jornal no Rio de Janeiro, trabalhou na “Gazeta Esportiva” e foi colaboradora de especiais da revista “Placar”, entre outras experiências fora do universo esportivo. Mineira de nascimento, paulistana de coração, é torcedora inabalável de Rafael Nadal, Michael Phelps, Messi e Rafaela Silva. Adora tênis, natação, judô, vôlei, hipismo e curling (sim, é verdade). Sagitariana e são-paulina teimosa, agradece por ter visto a Seleção de futebol de 82 de Telê, o São Paulo também do mestre Telê, o Barcelona de Guardiola e a Seleção de vôlei de Bernardinho em seu auge. Ah, chora em conquistas esportivas, e não apenas de brasileiros.

Adicionar comentário